quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A lua passou drogada e o sol não se importou.
Ele comia uma pasta feita por sua mãe, Gertrudes.
Dona Gertrudes sonhava que seu amante Netuno, jamais contasse qualquer coisa pra quem fosse.
Netuno também se envergonhava pois desejava uma flor.
Flor essa que se enamorava por nada menos que o amor.
O amor ouvia falar que na Espanha se tomava chá de canela, perguntou para a já pálida bandeira verde e amarela.
A bandeira sequer se deu o trabalho de responder, não conhecia o amor ou qualquer outro. Bandeira era ela por ela.

6 comentários:

Alef Barros disse...

Ferdi, juro que nunca vi uma crítica tão construtiva e tão poética ao mesmo tempo. Sério, eu te admiro muito.
Eu achava seu vlog ótimo, mas depois de acompanhar seu blog, percebi quão talentosa você é realmente.

Maria Rita disse...

Gosto muito de passar por aqui.

Beijos...

Andarilho disse...

Adorei esse texto.

BVP disse...

Sempre acompanho seu blog/vlog e nao sei se vc vai lembrar mas um dia falei que nao tava muito bem por causa de uma quimioterapia, sonhei com vc e acordei rindo. Depois desse dia comecei a ver vc como disse no texto, colorindo meus dias chatos e sendo parte essencial do meu tratamento. Continua com esse brilho que vc tem, porque mesmo sem vc saber, tenho certeza que alem de divertir as pessoas, vc ajuda muito tambem. Por mais que vc pare na frente da camera/teclado sem pensar em nada especifico as vezes, como vc mesma diz.
Antes dos parabéns eu te digo obrigada, e bom... Parabéns Ferdi!

@luasousa disse...

adorei o post , que venha mt mais *-* bjs adoro você s2

marcos disse...

oi, cheguei aqui através do seu maravilhoso vlog... tem txts bem interessantes aqui, parabéns!