quarta-feira, 11 de maio de 2011

Dia bom.

Às vezes eu me esqueço de como é fácil ter um dia bom e fico no comodismo dos dias ruins e do ter do que reclamar.
Mas então eu me enfezo e tenho o melhor dia, assim, sozinha, sem precisar de ninguém.
A graça é que sempre que eu resolvo ter um dia MEU que será bom, acabo contando com surpresas ótimas. Como amigos encontrados no meio da rua, gatos pulando amistosos e coisas simpáticas de toda a sorte.
Acontece que ontem meu dia bom não foi só bom, foi decisivo. O dia gritou pra mim que eu tinha que voltar a fazer o que eu amo fazer e se alguém adivinhar o que é não ganha um doce, porque acho que até o padeiro aqui da esquina que nunca falou comigo pralém de "quantos pãezinhos?" sabe. E eu não tenho muitas balas e sempre cumpro minhas promessas, então, né. Pois é.
E já que eu me vicio em coisas boas hoje também está sendo um dia bom, um dos bem ótimos com mudanças e tudo, filmes e corridinhas e até fotos em cabines fotográficas, porque eu sou muito genial (como todo mundo é) pra ficar em casa me lamentando, ao invés de viver.
O livro que me gritou a vida, foi Franny & Zooey, então deixo minha dica a respeito. Leiam!

2 comentários:

Layz Costa disse...

pow legal, preciso msm de ler certas coisas....
beijoKas....
quando puder...dá uma passadinho no meu blog..

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Já disse que gosto muito de você?
Saudades de ler suas palavras, saudades daqueles videos, saudades guria... To meio bobão hoje né? risos...

Um dia bom é sempre um bom dia!

Abraços Imundos!