quarta-feira, 6 de junho de 2012

Pessoas platônicas.

Sabe quando você não conhece muito bem uma pessoa, mas cada coisa que descobre a respeito dela te parece mais genial que a anterior?
Pois é, existem várias dessas pela minha vida, mas hoje eu vim falar de uma em especial.
Há mais ou menos dois anos atrás, eu, passeando por esse belo youtube, topei com um canal, assisti esse canal e achei ele genial.
Depois de um ano, mais ou menos, por acaso da vida, uma das pessoas desse canal veio a ter um canal conjunto comigo.
E é bobo dizer e tudo mais, mas há sempre um quentinho no meu coração e aquela vontade de conhecer mais a respeito dele e ao mesmo tempo manter uma respeitosa distância porque ele parece incrível demais e eu não quero que ele desgoste de mim, sabe?
E essa respeitosa distância se mantem, ao mesmo tempo que eu quero que ela desapareça e que um dia, passeando pelo Trianon, conversando sobre coisas aleatórias eu possa dizer que acho ele uma pessoa muito especial e saber que ele se sente da mesma maneira a meu respeito.
Eu fui tomar banho e fiquei criando diálogos de quando nós formos tomar chá de morango e foi genial, mas tenho muita certeza que teria sido melhor se real. O que, novamente é conflitante porque e se ele me conhecer e não me achar especial?
Enfim, texto de 4ª série, eu sei. Mas eu queria registrar que mesmo com o paradoxo das minhas pessoas platônicas, eu só fique muito feliz que ele exista e que isso um dia possa ser uma amizade genial ou que sempre seja essa linda amizade platônica, que por existir, já me faz um pouco mais feliz.
Obrigada, amigo platônico, que a vida te faça amigo real.

2 comentários:

Bianca disse...

Engraçado, você já imaginou que é/pode ser a pessoa platônica de muita gente, por aí?
Me identifiquei com seu video novo. Quando fiquei doente também foi vendo seus vídeos que me senti melhor :)
Grande beijo, Ferdi

oucoisaparecida disse...

Caí por acaso neste blog e... Caramba, como você é sincera. Normalmente todo mundo na internet cria em volta de si um véu de mistério... Coisa que não vi muito nos meros minutos do dia em que estive aqui. Louvável. Continue assim.