sábado, 18 de abril de 2009

Quem manda em meus olhos.

Três dias longamente divertidos tinham me acumulado olheiras antes do final de semana, eu dormia pesadamente e feliz feliz, apesar de sonhos chatos com pessoas indesejáveis.

Ouvi um choro e sabia do que se tratava, o acolhi em meus braços e acalmei-o dizendo que estava lá, perguntei:

- O que foi?

- Eu não gosto de dormir sozinho.

- Tudo bem, eu estou aqui.

E no que tentava voltar a dormir senti aqueles olhos grandes me olhando, abri os meu:

- Você é a menina mais linda do mundo, Noninho.

- Só porque você é meu irmão.

- Não é. Nono, eu vou mesmo no seu teatro?

- Se você quiser.

- E o que eu vou fazer?

- Morrer. De brincadeirinha, claro.

- Claro, você não é morta né? Observou ele sobre meu último espetáculo.

- Não, não sou.

O sono continuava a me chamar e ele falando:

- O que nós vamos fazer hoje, ermã?

- Não sei, posso dormir?

- Pode.

Mas eu não conseguia ignorar a sorte de poder ficar olhando dentro daqueles olhões carinhosos que me amavam, não resistiria.

Mesmo com sono, mesmo cansada, mesmo totalmente desarmada..

Ele faz o que quer.

2 comentários:

Jenny disse...

Gente, é infinito falar do Biel, de todas às vezes que o vi até hoje, poderia ter escrito textos tão sinceros quanto esse sobre todas.

Anjinho, certeza.

Um beijão.

Ferdi disse...

É meu único amor.