sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Raridades.

Há quem seja raro. E eu conheço muitas raridades.

Por exemplo duas menininhas..

Ela fazia teatro e ouvia Regina Spektor, tinha os cabelos enrolados, o sorriso mais acolhedor do mundo, complexos que irritavam amigos e estava passando por uma fase triste quando a conheci. Era linda e diferente. Pequenina, pele morena, roupas divertidas.. muito rara.

Ela gostava de (quase) tudo que eu gostava. Tinha olhos de jabuticaba que se fechavam quando ela sorria, cabelos brilhantes, macios e soltos, voz doce e o melhor abraço do mundo. Era um pouco mais alta que eu, coisa que me fazia sentir segura quando a abraçava, era acolhedor, salvo. Tinha a pele branca como a paz e tênis coloridos.

Nós costumávamos andar juntas, eventualmente eu saia só com uma delas, mas normalmente era com as duas.. parecia mais completo assim.

Falávamos de filmes, músicas e pensamentos, observávamos o que os outros normalmente não e às vezes, sem querer, falávamos em coro.

Sempre que eu voltava de um passeio com as duas me sentia mais leve e mais pesada, me sentia introspectiva, pensativa, revia toda a minha vida.. elas eram críticas severas e doces, como minhas consciências.

Certa vez eu decidi que escreveria um livro sobre nós, queria que o mundo compartilhasse aquela relação tão absurdamente produtiva e infinitamente aquecedora de coração que eu tinha, mas desisti em seguida.. ninguém entenderia o quão fundo elas estavam na minha alma.

Algumas pessoas são raras, como diamantes. E tem umas que eu não trocaria por todos os diamantes do mundo.

Por exemplo duas menininhas..

8 comentários:

Erica Vittorazzi disse...

Deveria ter escrito, e mandado para elas. é legal se sentir raro neste mundo onde tudo é plágio...

Katrina disse...

você é também é rara. E uma joía

Ana Apfel. disse...

Amizade é a melhor coisa do mundo quando é realmente verdadeira. É bom se sentir assim. Me senti poucas vezes e faz muito tempo.

Adorei como escreveu.
Beijos. To te seguindo. E claro, obrigada por ter passado no meu.

Mariah disse...

existem pessoas raras...é comum descobrirmos isso depois que elas se vão!

Natacia Araújo disse...

Faço coro, deveria escrever sim o livro.
Precisamos de literatura sincera no meio...
Beijos

sarah disse...

Acredito que todo mundo é uma raridade para alguém, o que acontece é que raramente achamos a nossa raridade (:

Rafael disse...

ó, que graça.
Eu só trocaria por um piano de cauda Steinway e um pote de açaí de 50 litros.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

"Algumas pessoas são raras, como diamantes. E tem umas que eu não trocaria por todos os diamantes do mundo"

A gente até pode viver sem um amor, mas dificilmente consegue viver sem um amigo.

Bjo!