quinta-feira, 29 de abril de 2010

Ask again.

- Você já se sentiu oco? - Oi? - Já se sentiu oco? - Eu escutei, mas.. que pergunta é essa? - , oco, sabe? Como se não tivesse.. Nada. - Nada por dentro, ? Porque pra ser oco é preciso de algo que envolva o oco.. - Sim, o corpo e nada mais. Já sentiu? - Olha, oco completamente oco não, mas confesso que quando você não me trás todas essas borboletas, aparecem pierrots chorosos. E se aqueles garotos não param de te encher, surgem uns escorpiões e cobras, confesso. Antes de você eu era composto por bolas de feno, pois é.. Mas a ausência de tudo eu nunca senti, até porque acredito que isso seja a morte. - Hum.. Disse a menina forçando um sorriso. - Mas.. O que há, está se sentindo oca? Perguntou o garoto, inseguro. - Eu? Não, não.. Era pura curiosidade. Respondeu aérea. - Pára de pensar besteira, sua boba. Vem aqui! Disse o menino sorridente enquanto puxava-a pra si. Ficou olhando dentro dos olhos dela, com um olhar brilhante e evidentemente apaixonado, enquanto ela, com sua fingida docilidade tentava esconder um tom opaco. E naquela madrugada, sozinha em sua cama, nem as estrelas conseguiram fazer o olhar da menina mais brilhante, nem sequer lembrou que olhando para as mesmas estrelas alguém pensava nela, não se emocionou com música nem se concentrou na sua leitura. Nada afastou aquele tom opaco, tom de quem reflete sobre o oco.

17 comentários:

Marcelo Mayer disse...

ela precisa de cerveja... na boa

Mare Patinho disse...

eu nunca sei se as suas postagens são de histórias reais (aí tenho que esperar uma semana para vc me contar as novidades) IASJDIASJD
é um belo jeito de retratar várias coisas... fico me perguntando quantas vezes fiz perguntas do mesmo tipo, e esperei respostas geniais, e totalmente inovadoras, e depois disfarcei com um sorriso forçado.

Criola disse...

2010 é o ano da crise existencial?

Andarilho disse...

Refletir sobre o oco é bom, sinal de que não está oco ainda, porque o pensamento o preenche.

J.B. disse...

me sinto oca quando não como...
mas enfim, linda postagem =D

boa sexta pra vc :*

Isadora Beatriz disse...

me sinto oca...as vezes, enfim asuashasuhuas
adorei aqui seguindo, beijos ;**

JaqueFonseca; disse...

Concordo com o Mayer. O Ser humano vive uma busca incansável de alcançar um estágio diferente de sua consciência; a cerveja pode ajudar nisso (Y)

Carol disse...

Tô assim...me sentindo oca tbm...como faz pra isso passar??
Bjoo

Erica Vittorazzi disse...

Nunca me senti oca, pois sempre tenho fome. Mas, reconheço este tom opaco.

beijos

Mulher na Polícia disse...

As mulheres são cheias de olhares opacos e de segundas e terceiras intenções. Coitado desse menino.

Beijo, escritora!

Junker disse...

Bom, ou é fome ou falta de cerveja.

Se eu fosse um pouco mais ignorante diria que é falta de pica

Mas eu nao sou assim

Rafael disse...

Quando me sinto oco, abro um orifício e derramo açaí, até acabar com a "oquidão"
bjs

Guilherme Serafim disse...

Ooi Ferdi :D
To seguindo aqui também, muito bom seu blog, viu! beijos

Olive disse...

nunca me senti "oco" mas adoreei o que você escreveu.

reverendopaulo disse...

Gosto de muitas coisas que você escreve, parece bem intimo diante de dúvidas que passamos pelo vida e que parecem que sempre voltam, até depois de certa maturidade.
Parabéns,
quando tiver um tempo e estiver disposta, confira o meu blog.
contei.wordpress.com

inté.

Gerundino disse...

Hahahaha... adorei o comentário da Criola... 2010 é o ano da crise existencia??? rsrs

Ou como responderia alguem sem sensilidade nenhum... vc não é oco, vc tem orgãos dentro de vc.

Cronick (R¡¢ |-|ä®Ð Oak) disse...

O vazio é infinito... Já me fiz essa pergunta, mas o vazio q sentimos é o vazio imposto pela sociedade, se vc não segue os padrões foge da regra e não ta acostumado às consequencias vc se acha vazio...
Eu sou vazio, aos olhos de todos.
nvm. Excelente texto