quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Senhor olhos azuis.

Dias antes ela tinha escutado "Se você tiver um sonho, positive-o em você e nunca conte pra ninguém, por mais que a intenção dos outros seja boa, a opinião deles quanto seu sonho também contará para o universo e ela pode não ser sempre positiva, então guarde-a pra você", o engraçado é que ouviu isso sobre um assunto profissional, mas só agora parecia fazer pleno sentido. Ela era tão cheia de amigos e estava tão absurdamente empolgada e apaixonada, ele mal tinha aparecido e todo mundo já sabia, era vez de contar pra sua mãe. Começou aos poucos: - Você viu que eu estava falando com um garoto em inglês ontem a noite, ? - Vi. Quem era? A menina contou detalhes sobre a perfeição que ela via nele e a mãe, desacreditando, tentou fazer a menina voltar a realidade e ficou brava pelo namorado da garota: - Você deve ser muito doente, quando te aparece um garoto como esse você inventa um amor impossível só pra fugir, qual o seu problema? - Eu não estou fugindo, não terminei, só estou dizendo que eu nunca senti isso ou cheguei perto de sentir em relação a isso, mas com o inglês é como se, sabe? Não é você que acredita em amor a primeira vista? - Pelamor de Deus, menina, que vista? Você nunca nem viu ele. - Mas a relação é a mesma de quando você trocou olhares com meu pai, você não conhecia, era só uma imagem que acarretou reações químicas cerebrais e dez anos depois vocês casaram, por favor, não torça contra.. Eu realmente gosto dele. - Você fala com ele há dias, não é meio precipitado? - Não sei, mas é o que eu sinto e eu queria que você ficasse feliz por mim. Nesse momento ela começou a chorar com medo, porque já havia contado pra tanta gente e aquilo que tinha ouvido fez um sentido absurdamente pesado. - Estou feliz, só toma cuidado e pára de chorar. Chame-o pra vir conhecer o Brasil, diz que ele pode ficar hospedado em nossa casa o tempo que quiser. - Falarei. - E você terminando o inglês vai pra lá fazer intercâmbio. - Ai, mãe, obrigada, sério.. Ela passou o dia com olhos brilhantes e um sorriso bobo na face, ouvindo música doce e lembrando do sotaque, do olhar, da foto que ele tirou do computador quando ela sorriu "Agora tenho uma foto sua", ele havia dito, disse também, um pouco bêbado, que eles se casariam e que todos os amigos dele sabiam que agora ela era sua namorada, ela ria tanto, além de tudo era engraçado, o garoto. - Ele tem um olhar de quem sabe das coisas, sabe, mãe? - Um menino de 18 anos? - Pra você ver.. Chegou em casa mais tarde do que gostaria, por bons motivos, mas ainda assim com medo de não encontrá-lo, precisava e queria falar com ele, correu e penteou os cabelos enquanto o computador ligava, se olhou com carinho "Você é uma babaca", sorriu e correu pra frente do computador. Ele não estava lá mas ela não estranhou "É, ontem não marcamos nada e, sinceramente, sábado a noite eu realmente espero que ele esteja se divertindo e não na frente do computador", pensou alto. Foi checar seu perfil e algo estava estranho.. ele não era mais seu amigo, adicionou-o de novo com a seguinte mensagem: "Why we're not friends here anymore?". O telefone tocou, era seu namorado: - Oi. - Oi. Você está bem? - Não e você? Respondeu ela com a voz trêmula. - Nossa, algo sério aconteceu? - Sim, mas não é nada, já me recupero. - Tem certeza que não quer me falar? - Tenho. - Mas é sobre o quê? - Um amigo meu.. enfim.. - Bem, ok se você não quiser falar sobre. - Não quero. - Mas então.. vamos sair ou você está chateada? - Estou chateada, mas não quer vir em casa ver filme? - Tem certeza que não prefere sair? - Bem, vem pra cá e depois a gente vê, ok? - Ok, então até mais tarde. - Até. E só depois de desligar o telefone conseguiu chorar e contar pro seu melhor amigo o que tinha acontecido, que disse "Foi um erro bizarro e agora ele deve estar dizendo 'OMG! OMG! What have I done?' e sem contar que olha o que eu acabo de ler: "Hoje, eu e meu ex resolvemos ter um flash back e fomos ao motel. No auge, ele que é gordinho, passa por cima de mim gritando: "Olha o rolo compressor", quando eu consegui me recuperar teve "A volta do rolo compressor". ..sua história não é pior que essa", depois de rir e agradecer a si mesma por ter puxado assunto com aquele garoto aleatório há quase um ano que agora conseguia fazê-la alegre mesmo em situações assim, colocou "A Marchinha Psicótica de Dr. Soup" pra tocar e foi se arrumar pra encontrar o namorado, com o coração doendo tanto que ela nem conseguia sentir.

6 comentários:

Idiota disse...

Pera... mas vc tem namorado no Brasil? E o inglês? To entendendo niente...

Idiota disse...

To na horinha de descanso do trabalho e vim aqui pra dizer que to indignada até agora!
Que palhaçada é essa?
Ai MELDELS!!!
E agora, não teve mais notícias?
Desde quando?

Você sabe que comigo sempre acontece dessas coisas... Foi eu contar do Tiozão pro meu pai pra dar merda... parece que o demoniozinho fica ali olhando, até a gente estar beeeem feliz e participar pra quem a gente gosta...
Enfim, to indignada!

Erica Ferro disse...

Own...
Mas o que houve? O inglês excluiu a 'menina'? Isso continua? Eita curiosidade, a minha!

E que loucura, a menina tem namorado!
O negócio tá ficando mais do que bom, hehe.

Beijo, Ferdi.

Tiburciana disse...

CONCORDO PLENAMENTE COM TUA TEORIA!!!
tALVEZ SE TIVESSE GUARDADO MINHA FELICIDADE ...
nUNCA VOU SABER ...
E POR MAIS MENTIRA QUE PAREÇA ACABEI DE MUDAR A FRASE DO MEU BLOG E A NOVA FALA MAIS OU MENOS ISSO
CONFISSOES AGORA DE LAEGRIA OU TRISTEZA SOMENTE NO MEU BLOG
E QUANTO AO ROLO COMPRESSOR ISSO SIM ME FIZ RIR

Marcelo Mayer disse...

nem precisou de detalhes

Mel disse...

gostei...vou voltar mais vezes...