sábado, 13 de fevereiro de 2010

Doses de sonho.

Não vejo sentido nessa exaltação do pessimismo, nesse quase desejar que a vida seja uma bosta sem solução, nesse desamor e amargor constantes, como se ser frustrado pudesse ajudar.

Não gosto de viver em realidades paralelas, onde aquele menino incrível que eu sou apaixonada por também gosta de mim secretamente (ao invés de namorar escondido com seu amigo). Detesto esse otimismo desmedido onde TUDO fica bem no final, onde lágrimas não existem e todos temos unicórnios alados pra nos levar pra lá e pra cá, soltando purpurina e ondas de amor pelo ar.

Cansei dessa gente que só sabe ser rabugenta e levantar bandeiras tristes, cansei dessa coisa de solidão (que, como Cazuza aliás muito sabiamente observou "a solidão é pretensão de quem fica escondido fazendo fita"), cansei de só reclamar e não fazer.

Não, Ferdi, você não é a mais inteligente, a mais engraçada ou mais bonita, os problemas sociais todos não serão resolvidos com suas reivindicações e a probabilidade de ser dirigida pelo Godard (de novo, ? Já que, como todos sabem eu costumava ser a maior inspiração da vida daquele homem - e de tantos outros) é quase nula.

A vida é bonita e feia, doce e amarga, quente e fria. A vida é equilibrada e um dia você há de ser realista, embora.. sonhadores?

Estou me apaixonando. Só os corações muito bons podem ainda realmente sonhar, só os corações muito puros podem ter esperanças pra acreditar que um dia o mundo será perfeito e todas as pessoas serão felizes.

6 comentários:

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Digo sempre pra mim mesmo se o mundo não pode ser melhor e a gente não poder ser feliz então de que vale viver? Sofrer só faz sentido se for pela busca da felicidade, acreditar, sonhar é o que nos faz continuar. Eu acredito e mais do que acreditar que o mundo pode ser melhor e que eu posso ser feliz eu tento fazer algo para que isso seja concretizado, acredito que o caminho seja por ai.

Abraços!

Erica Vittorazzi disse...

Ah, não recomendo o livro Poliana para ninguém...hehehe.
ás vezes, sou a mais sonhadora, ás vezes, rabugenta...sou humana, mas tento ser feliz!!!

HNETO disse...

Pessimo é tipico de quem já sofreu demais ou tem medo de sofrer, e até dos que so sofreram de menos.

Glauko Guimarães disse...

Hoje em dia é "cool" ser rabujento(a). É medíocre e pífio.
As vezes quero gritar igual no seu texto. E me apaixonar sempre, mas não deixam. Continua assim, vc tem mais chances que eu.

Criola disse...

A Erica falou do livro da Pollyana. Ontem eu vi uma coitada lendo no ônibus e fiquei com pena da menina.

A gente às vezes entra em uns momentos meio down, mas o importante é sair, né? Acho um horror quem acha bonito ser atormentado também.

Ao mesmo tempo, desejo fogos de artifício na nova paixão.

bj

Erica Ferro disse...

Meu coração já foi puro.
Hoje, não é imundo, mas também não é tão límpido.

Prefiro ficar com um pé na utopia e outro na realidade.

Muito bom o texto, viu?
Beijo.