sexta-feira, 5 de março de 2010

Inconstante.

As verdades de hoje não são as mesmas de amanhã. Apagarei alguns rascunhos e outros traços surgirão. A rosa que vi hoje naquele jardim não estará mais tão bonita. Minha vontade de comer chocolate terá passado. Meu cabelo não terá a mesma forma. Nem seus olhos, seu sorriso, meu amor.. Meu amor também não estará mais ali, ao menos não da mesma forma. O céu não será do mesmo azul e a noite não ostentará estrelas ou lua igual. As ondas quebram sempre diferentes e eu sou como elas, então, meu querido, não confie nas minhas promessas de agora, não confie no meu amor de amanhã. Não é que ele possa não existir é que ele não existirá. A não ser que amanhã eu não olhe pra nenhuma outra pessoa além de mim e, ainda assim, é capaz de trocar-te, trocar-te por mim mesma..

5 comentários:

Mariah disse...

mas amanhã você poderá ter mudado de idéia e...olhando ao redor, poderá achar tudo monótonamente igual.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Você transita entre ser mulher e ser menina, acho isso fantástico.

Abraços!

Katrina disse...

Eu me trocaria, sempre

Gostei, gosto de versos

Olga disse...

isso me lembrou a música metamorfose ambulante :) muito bom.

Rafael disse...

Gostei bastante desse...

(mas ainda estou aguardando a segunda parte da saga do Senhor Banana Dourada)