domingo, 24 de maio de 2009

Eu nos destruí.

Mais uma vez eu consigo estragar tudo. A pessoa que eu esperava pra me trazer toda aquela alegria de novo talvez não queira mais vir, não queira mais ver, independente de mim acredito que vir ele venha, mas não mais me procurará, não vai conhecer minha família, minha árvore ou minha vista, não vai querer mais saber de meus amigos, alegrias, meus sorrisos. A pessoa que eu espero pra me trazer toda aquela alegria de volta, aquela pessoa me conheceu bem demais e não que precise disso para não gostar de mim, mas quando me conhecem bem demais as pessoas precisam não de mim mais gostar, eu sou detestável. E por ser assim detestável perdi aquele sotaque e aquele sorriso, perdi aquele abraço alto e beliscões, perdi metade dos meus planos pro futuro e noventa por cento da felicidade de lá. Graças a minha detestabilidade eu não mais tenho esperanças nisso, naquilo e em todo o resto. Não terei ninguém pra me esquentar as mãos ou só sentar comigo na Cultura e conversar, a Paulista não terá mais graça e o metrô me fará chorar todos os dias que eu lá estiver sem ele, como às vezes já faz, mas agora sem esperanças de retorno ou de abrigo. Agora sem esperanças. Um dia é suficiente pra você me mandar embora de você, um erro é sempre o suficiente quando falamos de mim, porque eu, quando erro, erro com maldade, com maldade de magoada, eu sou uma completa imbecil. Desde seu primeiro "Ferdi" desajeitado eu pensei em tudo pra gente, na dimensão da nossa amizade, eu te adorei desde o primeiro telefonema. Eu ansiei que "Entre os Muros da Escola" acabasse pra poder te ver. Eu nunca duvidei de você ou da sua amizade, eu nunca duvidei de nós e da nossa alegria. Mas agora te vejo escapar entre meus dedos e uma coisa tão bonita se perder. Você era minha última esperança doce, que agora foi embora com todas as outras. Eu joguei tudo no lixo, nos destruí, é minha culpa, eu sei e é irrecuperável. Eu jamais disse isso, eu sempre tenho medo de você entender errado e fugir, a única coisa que eu nunca quis desde sempre foi me afastar, então eu nunca disse o que vou dizer agora e que, de fato, sinto e sinto muito: Eu amo você. E por mais que pra ti tudo tenha acabado eu, pelo menos isso, vou conservar, meu amor por todas nossas memórias do que viria a acontecer, meu amor por tudo nosso, mesmo que a partir de hoje tudo que venha de você seja indiferente, em mim o amor não vai morrer. Desculpa por estragar tudo, eu nunca quis te magoar, não de verdade.

4 comentários:

Jenny disse...

E todo dia me pergunto: oiq ?

154 beijos.

... disse...

engraçado, mas estou sentindo o mesmo que você, tá certo que nao foi bem o mesmo, ja que foi menos real.. mas entendo perfeitamente o que voce disse.
fiquei um tanto triste em saber que nao sou a unica com esse sentimento, porque sei que nao é bom, e jamais desejaria isso para ninguem.

mas, do mesmo jeito que eu estou (tentando) fazer, nao desista, por mais que voce pense que destruiu algo, porque voce nao destruiu.
um amor nao morre tao rápido assim.

(comentario sem acento, porque o computador que estou usando nao tem)

. disse...

alias, voce disse que o amor em voce nao vai morrer, e nele tambem nao.acredite

Ferdi disse...

E olha que você é a melhor informada.. haha..

Eu acredito, acredito mesmo, porque tudo já está tão lindo quanto antes.
Porque quando duas pessoas se gostam de verdade, quando uma amizade é assim que nem a nossa é, não tem mágoa, porque primeiro vem o amor.

157 beijos para ambas.