sábado, 23 de maio de 2009

Graças a você.

Perdi meu frescor virginal, Meu brilho, Minha esperança nos amores que duram. Graças a você perdi bons momentos, Bons amigos, Meu amor nas companhias eternas. Graças a você perdi os pássaros, A graça das frutas, A beleza das flores. Graças a você perdi a graça e a postura, Graças a você perdi a doçura. Perdi meus modos, Minha maneira de sorrir, Graças a você não consigo persistir. Graças a você há algo de errado, Por sua causa me tornei um mal amado. E todos meus próximos amores serão incompletos, Graças a ti, meu bem, sou paranóico e frio, Graças a você o abismo se estira, Pareço uma pedra, dor, apatia. Mas ainda faço o favor de rir, querido, das piadas alheias, Das minhas próprias, Das coisas derradeiras. Ainda conservo bons amigos e sentimentos, Você me levou o romance, baby, Mas nem só de romance vive a boêmia.

3 comentários:

.. disse...

realmente lindo o que você escreve, sem deixar um minuto de demonstrar sensibilidade

Jenny disse...

Faz muito sentido, mesmo...pra um monte de gente. :)

45 Beijões ^^

Ferdi disse...

Obrigada pelo lindo, sr(a). "..", fico muito feliz.
Se pudesse ser insensível eu bem que adoraria ser, mas não é uma escolha nossa.

E tomara mesmo, Jennin, porque pra mim faz todo sentido (exceto quando eu rimo errado com amado, oi, é triste).

46 beijos pra cada. :)