segunda-feira, 18 de maio de 2009

Neta relapsa.

Eu tenho meus dois avós paternos vivos e uma avó materna. Eu vejo minha avó materna com uma frequência deliciosa, ela é minha vizinha e eu a amo, porém.. Porém com meus avós paternos a coisa é diferente, eles moram mais longe e moram com uma pessoa que eu não falo. Digo, a pessoa mora com eles, então às vezes é constrangedor e eu acabo evitando, o que é a coisa mais imbecil que eu poderia fazer, eu reconheço. A questão é que eu amo muito, mas de uma forma indescritível meus avós, eles sempre estiveram e fizeram tudo por mim, tudo e mais um pouco. Por exemplo, hoje fui visitá-los e meu avô, que sabe que eu sou viciada em leitura me deu livros, sabe quantos? Doze, doze livros de uma vez. Ele sempre foi assim comigo. Não que eu dê a mínima pros presentes, é o gesto, ele sabe que eu vou ficar a pessoa mais feliz do mundo sabendo que ele quis fazer algo pra me fazer ser a pessoa mais feliz do mundo, sabe? Então hoje ele me levou onde eu precisava ir, andamos de mãos dadas por aí, eu ele e a , ele pagou o que eu ia comprar, me trouxe em casa e nós, como sempre, conversamos muito e sobre tudo, ele é um gênio, um de verdade. Eu cheguei na casa da , ela estava sentada comendo pão de mel de prestígio e tinha um iogurte aberto em cima da mesa, abracei ela forte e perguntei como ela estava, parecia que ela estava estranhando eu a chamando de , mas ela não disse nada, só me deu conselhos, conselhos diferentes. Há meses atrás eu contei uma história semelhante à ela e ela respondeu que eu não devia confiar em homens jamais, que a vida era melhor sem eles, que eu ia acabar magoada de qualquer forma. O Alzheimer faz ela pensar que meu avô já não mais a ama. Hoje ela disse, com bom humor, que mágoas acontecem, mas que eu não devo chorar por conta disso, só ignorar, ignorar e tentar com outra pessoa e se tinha uma pessoa boa na minha vida, eu devia mesmo me alegrar, mas não falar nada, meninas boazinhas esperam que os rapazes falem com elas e as tímidas também e ela sabe que eu faço parte das duas, apesar de discordar que seria maldade ou coisa assim se eu fosse corajosa e tudo. Meu disse pra sempre que eu quisesse bons conselhos sobre a vida procurasse ela, mas ele estava sendo irônico, ele sabe do pessimismo que essa imbecil dessa doença traz e tudo. O engraçado é que ela foi mais otimista do que eu poderia ser nos meus melhores dias, quem dirá nos apaixonados.. Ela disse até que ia dar certo com esse moço bonzinho que eu conheço, que era pra eu me acalmar e tudo. Eu quero minha avó de volta. Eu quero ela de volta. Ela é assim, ela é genial, ela é linda, ela me ensinou a viver, ela me ama, ela não acha que eu seja uma idiota nem nada (apesar de agora achar que todo mundo é), ela se importa comigo e, mesmo com dor vai em todas as minhas apresentações de teatro e sempre diz que foi maravilhoso e que eu era a melhor, mesmo doente assim. Eu quero ela boa de novo. Eu vou fazer ela ficar boa de novo. Eu nunca mais passo mais de uma semana sem vê-la, nunca, eu juro pela minha alegria, juro! Eu sou a pior das criaturas, como posso, como? Hoje foi um dos dias mais lindos da minha vida, de novo, nós só ficamos juntos. Só isso.. ps.: Parabéns pra garota com coração de diamante, mais graciosa e brilhante que eu já conheci. Também te amo muito!

3 comentários:

Jenny disse...

Eu só tive um avô e ele me chamava de filomena, ele chamava todas as netas de filomena, e todos os netos de barnabé. Morreu aos 88 anos, eu pedi para ele descansar.
Enfim, não sei como é ter avô por perto, nem que seja no proximo bairro, mas imagino pela alegria dos amigos assim, ao falarem de seus avôs.
Enfim....sua vô é muito jóia nos conselhos...às vezes o pessimismo evita dores piores, mas tudo deve ser dosado e tudo.

Um beijão menina!

luísa disse...

Ah, esse assunto, avós e avôs é uma cosia que me deixa tremendamente mais sensível do que já sou. Um dos motivos é por eu ser louca pelos velhinhos e por toda a experiência de vida que eles tem. Por todos os trejeitos, gestos e maneiras de se expressar. Acho uma das coisas mais lindas da vida. O outro motivo é por ser apaixonada incondicionalmente pelso meus quatro avós, mesmo não tendo conhecido um deles, amo suas memórias, muito.
Ler seu texto me fez chorar, Ferdi. Chorei por você, pela sua avó e pela sua vontade de curá-la. Quis fazer isso por ti, quis muito.
O que posso te dizer é pra que não perca o tempo culpando-se pro não ir visitá-la. É fraqueza tua, mas totalmente entendível, afinal, é difícil ver pessoas que amamos doentes. A dor é horrível.
Pense no agora, e nos momentos maravilhosos que voce vai passar com ela, mesmo ela estando doente. Serão maravilhosos, porque você fará com que sejam assim.

Se cuide, e cuide dos seus avós, que tenho certeza, são doces como você.

Beijos, Lucy.

ps: Emocionei-me também com esse finalizinho de post dedicado a mim. Você não sabe como me faz feliz :)

Ferdi disse...

É uma pena pra você, Nin, você não sabe o quão lamentável.
Mas fico feliz de poder dividir os meus com você, fico mesmo!
O pessimismo sempre evita dores piores, mas é um tédio..

19 beijos, eu te amo!

Eu sou louca por determinados velhinhos, tem gente que quanto mais cresce mais grotesco fica, juro!
Eu não consigo amar o meu avô materno, que morreu antes de eu nascer, eu sei que ele foi uma figura genial, sei mesmo, por isso é um amor de ídolo, não de avô, sabe?
É como amar o Chico Buarque, Kevin Barnes ou o Bergman..
É triste, eu acho triste, queria mesmo que ele pudesse me falar "ô, minha netinha" sem ser só desenhado em uma nuvem dos meus sonhos, queria mesmo, mas a vida está longe de ser como eu quero, sempre. :)
Mas pelo menos tenho os outros três vivos e vivo o amor recíproco entre nós.

Eu sempre choro ao pensar no cérebro da minha vó se despedindo, além de fraca eu sou uma imbecil.
E, apesar de compreenssível, concordo com você, é mesquinho, é fraco, é burro.. me faz sofrer mais, a faz sofer e ao meu avô, não repetirei a imbecialidade, não repetirei.

Tenha certeza que são muito mais doces que eu, eles me ensinaram o máximo, mas eu não sou boa em aprender coisas assim (e talvez qualquer outra coisa)..

Fico feliz que tenha te tocado de alguma forma. Sinto que valeu quando toca alguém de algum jeito!
Obrigada, Lucy e eu amo você.