quinta-feira, 7 de maio de 2009

Eu sei que isso não é um diário. Mas..

Quando a gente está feliz tudo dá certo e nem importa se sua canetinha preta acabou ou que você perdeu sua stabilo, porque você ama tanto desenhar que pode fazer de lápis e depois tudo de novo de canetinha. Quando você está feliz todos os seus amigos de verdade aparecem, hoje eu passei a tarde falando com a Fran e ontem com a Thaís e com a Lucy, além de receber notícias da Marininha e uma promessa de visita. :D Não preciso citar a Jennin, porque ela está mesmo sempre comigo. Eu tenho um amor muito grande por Thaís e nunca a vi, ela mora lá em BH e é um dos seres mais doces que eu conheço. O sorriso mais sincero, a escrita mais calma, tão meiga, tão sensível.. eu queria ser um pouquinho Thaís. Ela mora longe e dentro de mim, é um pouco minha, minha magrelinha. A Lucy mora aqui em SBC, ela é uma das 30 pessoas legais que moram em SBC (é, só moram 30 pessoas legais aqui e eu nem conheço todas), ela é assim um misto de Holden e Principito, ela é tipo o Dimi versão feminina e qualquer um que me conhece sabe que eu não poderia fazer elogio maior. A Fran era siamesa minha na sexta série, a gente não se desgrudava nem pra ir no banheiro, se a professora não deixava colocarmos carteiras em dupla a gente dividia a mesma cadeira, então ela não faziam nada, porque sabiam que era muito amor. Há cada milésimo de segundo três risadas (é, nós somos rápidas), nós criamos listas então ninguém entendia o que a gente falava, jogamos basquete juntas.. Até que o mundo me levou ela, mas nada fez com a nossa amizade. Nossos "eus" ainda continuam muito misturados, acho que misturamos tanto que não conseguiríamos desmisturar nem morrendo. Eu falei que não falaria da Nin, mas não dá. Ela é tão inteligente e inusitada, ela entende TUDO que eu falo, tudo, nós podemos nos comunicar em blabláção por horas e entender perfeitamente o que queremos dizer. A Jennin é uma espécie de um eu em outro corpo, ela rouba meus pensamentos e até atos. Chega a ser estranho, mas eu gosto muito, porque eu gosto muito de mim. E ela está sempre comigo e isso é absolutamente jóia. Sabe quando você está o amor em pessoa? E até os desamores não fazem diferença porque você ama tanta gente e tanta coisa que um a mais não faz grande diferença. Eu fiz as pazes com o Daniel e isso é tão ultra genial que vocês não podem compreender. Sabe? Apesar de ser uma aberração estranha e sem sentimentos ele é meu amigo mais de verdade, ele mora aqui do lado e a gente conversa até morrer, eu posso falar tudo da minha vida e tudo mais que eu quiser pra ele e ele faz o mesmo. O Daniel é tipo meu irmão que eu amo e odeio o tempo todo. E eu só estou elogiando ele aqui porque ele não lê meu blog e se um dia ele ver isso eu vou dizer que invadiram meu blog porque jamais o elogiaria. E meu irmão, gente? O que é meu irmão? Eu pedi pra ele vir aqui do meu lado, só ficar aqui, então ele veio e ficou me olhando com a carinha mais linda do mundo. Não só beleza física, mais linda do mundo porque ele é a pessoa mais genial que eu conheço, ele é o novo Dimi, eu acho. Não, comparações são um tanto imbecil, ele é o Gabriel, tão especial quando o Dimi sim, mas com a personalidade e vivência dele. E ainda bem que o Dimi não lê mais meu blog, ? Porque acho que ultimamente eu falei dele em todos meus textos, tipo um Mark Chapman doente obsessivo, mas não é isso, ele sabe que não, é que ele é genial demais, sério. Ele é um tipo que só de ficar perto a gente já fica alegre, eu queria ser uma colega de trabalho ou um dos amigos que dividem o apartamento com ele, porque se eu visse o Dimi todo dia eu não choraria nunca mais. Estava ontem no médico, fui fazer ultra-som no pé (coisa que, diga-se de passagem, é meio esquisita) então chegou uma família com um senhor pra tirar um raio-x, ele tinha Alzeimer e gritava sempre que encostavam nele, então eu fiquei muito triste e quase chorei. Depois uma das filhas dele me explicou que não era de dor que ele gritava e sim de medo, então eu fiquei sem saber o que era pior.. Daí comecei a observar o neto. Ele cuidou com tanto amor, paciência e devoção que eu fiquei emocionada. E, sabe? Ele não precisava, a família inteira dele estava lá e eles podiam fazer isso, mas ele fazia questão, ele gostava. Então depois de ver isso eu fiquei muito feliz e me senti muito idiota por horas antes estar deprimida só porque não consigo andar, panaca! Eu desenhei hoje um piano de cauda que ficou tão parecido com um piano de cauda que eu até me orgulhei de mim. E uma colega do teatro me deixou um recado me pedindo pra voltar porque estou fazendo muita falta e, apesar de qualquer ator, bom ou ruim, participativo ou não, fazer falta quando falamos de um grupo de teatro, eu me senti um tanto especial, ainda mais depois que ela disse que além da falta estavam com saudades. É bom saber que em seu local de trabalho/estudos tem tantas pessoas que gostam de você. (: Minha tia apareceu aqui com uma blusinha de girafa que me deixou feliz. Muito feliz mesmo, meus olhos se encheram de alegria e meu coração deu um saltinho, porque é uma blusa tão singela e meiga que deixaria qualquer pessoa sensível feliz. Ai minha outra tia começou a rir "Você acha que isso é roupa pra uma Orientadora Pedagócica ir trabalhar?", eu não via nada de errado, "E daí?" a da girafinha falou, a outra não soube o que responder, porque, realmente, e daí? Só porque a gente cresce não podemos mais usar roupas alegres e com bichinhos estampados? Eu precisava falar das minhas alegrias. Eu vou voltar pro piano e isso significa MUITO pra mim! É como.. é como fazer as pazes com um amigo, não que eu tenha parado de praticar. E são tantos livros, tantos filmes, tantas possibilidades, tantas peças, tanto futuro. Eu queria me sentir assim pra sempre! Mas não vou, eu sempre tenho picos de euforia e tristeza depois. Meu iridologista diz que eu sou assim, é minha personalidade e ponto. E eu gosto dela assim, porque como diz meu primo, quem não chora é fraco e tristeza é pra se aproveitar. Mas é claro que prefiro aproveitar da minha alegria. Aliás, esqueci de citar esse primo, o Emílio, que é mais um herói pra mim, mas vou me abster porque ninguém lê isso aqui (coisa que me deixa um pouco triste) e comigo falando tão descaradamente sobre mim acho que não vai ajuda, aí é que vão me abandonar pra sempre mesmo. E, ah, eu preciso dizer "Pra se ler como oração" é uma coisa muito bonita de dizer, viu? Muito bonita e encheu meu coração de florzinhas.

6 comentários:

Amany. disse...

eu li tudo. pq nao me conta essas coisas legais ??
:///

Ferdi disse...

Oras, porque você é inacessível.

Estela disse...

Depois de ler um post tão feliz, to me sentindo até melhor agora, Ferdi! Hm, não que eu estava me sentindo mal, mas agora to melhor do que antes... Que seja.

Continue muito feliz, ok, dica.
:*

Jenny disse...

Ferdiiii, nem preciso comentar nada né.
Sei que o comentário esta velho, talvez as coisas já estejam diferentes....mas....

mas....

estou aqui.

Até amanha.
Nin.

luísa disse...

Esse seu texto me fez lembrar do que John Lennon disse uma vez: "E eu pensava que todos nós seriamos salvos pelo amor." (se não foram essas palavras exatamente, tá bem próximo disso.)
Poisé, todos tivessem esse amor dentro do coração, assim como esse que voce tem dentro do seu, o mundo estaria a salvo, Ferdinanda.

E, obrigada, você é deveras especial pra mim :) Parte integrante no meu céu de diamantes (oi Luísa, o que foi isso que voce acabou de escrever?)

Bem, de qualquer modo, te quero muito bem, Ferdis :D

Beijos,
Lucy.

Ferdi disse...

Amo todo mundo que comentou esse texto e isso é muito jóia.

Obrigada, obrigada mesmo.
E eu adoro ler o que vocês tem a escrever sobre o que escrevo.

:*